Untitled Document



 

18
Um pequeno trecho da autobiografia
Conversando com a pastora Fernanda, resolvemos colocar para vocês um trecho do livro. Dessa forma, vocês tem uma idéia do estilo e do que será contado... Talvez, mais pra frente, colocaremos outros trechos. Boa leitura! (...)Tudo era novo pra mim. O clima estava estranho. Minha mãe estava doente, íamos nos mudar... O que iria acontecer? E os meus amigos? A minha turma das rodas de violão? E o rapaz que eu estava gostando? E minhas amigas inseparáveis da época de pré-adolescência, Evelyn e Hosana? E a minha escola? Meu pai! O dia da mudança foi muito triste pra mim. Fui arrancada com raiz e tudo, de uma hora para outra, do lugar em que eu estava começando a conquistar. Eu já não era tão gordinha e já tinha uma paquera (risos) – nome antiquado né? Era a gíria do meu tempo de adolescente. Já era aceita em um grupo de músicos, tinha amigas, estava emagrecendo. Na verdade, eu estava crescendo, me arrumando como uma menina, e justo agora eu ia embora? Estava vencendo as brigas do condomínio na inteligência. Quando eu digo inteligência, quero dizer na vingança. É, eu me vingava de maneira inteligente e cruel e usava algumas pegadinhas contra as meninas maiores, principalmente contra a minha arqui inimiga, Karla (ela tinha um apelido e eu prometi não contar no livro e nunca mais chamá-la assim). Vamos conhecê-la mais à frente na minha conversão. O caminhão ficou pronto. Eu não queria me despedir. Sentei no banco do carona. Olhei a última vez para o meu apartamento no terceiro andar. Olhei para a árvore que quase tocava minha antiga janela. Eu havia sido muito feliz ali. Quando observei a janela do apartamento ao lado do meu, encontrei Luciana me olhando. Chorei... Foi naquele apartamento que passei grande parte da minha infância como irmã de todas as meninas que moravam no prédio, principalmente de Carla e Luciana. Eram duas irmãs que se tornaram minhas também. Era lá que dançávamos as músicas do “Menudos”; para onde eu fugia quando meus pais brigavam; aonde eu ia escondido quando estava de castigo; o lugar que eu brinquei de Barbie muitos anos; e comi em família. Olhei para ela e chorei. Eu sabia: “nada mais seria como antes.”
Comentários
 

 

 

Idealizado pelos pastores Emerson Pinheiro e Fernanda Brum, o Ministério Profetizando às Nações tem o objetivo de divulgar missões e o amor pelos perdidos.

 
22/04
Amanhã (23.04) tem Fernanda Brum no "Programa do Ratinho"
22/04
Dia 23 de abril é a entrega do jejum
14/04
Saiba mais sobre a música que Fernanda Brum gravou em prol da Venezuela
10/04
Amanhã tem Fernanda Brum em Manaus (AM)
10/04
Instrução da 8ª semana do jejum
 
» Arianne
» Emerson Pinheiro
» Espaço Curiosidades
» Fernanda Brum
» Geral
» Profetizando as Nações
» Quarta Profética

 

   
 

© Todos os Direitos Reservados
Desenvolvido por InovaSite